M. Shadows: “No final o que somos é uma banda de rock clássico”

shi

 Entrevistado para edição Nº 209/setembro da revista espanhola Mondo Sonoro, M. Shadows contou mais detalhes do novo álbum da banda intitulado “Hail to the King”, lançado no último mês. Segundo o vocalista, a banda buscou um som mais destinto e melódico para o novo disco, chegando aos status de uma verdadeira banda de rock clássico:

Hail to the King é o esperado disco de retorno do Avenged Sevenfold. Após o salto experimentado com “Nightmare” e o êxito tremendo que conseguiram com ele, as expectativas são muito grandes. “Depois de Acabar a turnê do ‘Nightmare’ nós tomamos um tempo para ficar com nossas famílias e após esse descanso encontrar de novo a inspiração. Em setembro iniciamos um processo que presumiu-se que seria lento. No final nos levamos entre sete e oito meses, o abtual nesses casos. Contudo, a dedicação e a inspiração tem sido plenas”.
Cada disco do grupo liderado por M. Shadows geralmente apresenta novidades, alguma surpresa, uma característica deferencial dos outros, que com “Hail to the King” não iria ser diferente. “Nunca queremos fazer o mesmo tipo de disco, seria muito chato para nós. Quando gravamos “Nightmare” foi uma reação ao nosso álbum branco, quisemos fazer as melhores canções possíveis. Estávamos obcecados em buscar a perfeição. Enquanto ao novo disco, creio que não está tão marcado pelo épico, é mais melódico e te diria que está influenciado pelo som de guitarras do blues. Os arranjos são distintos, mais trabalhado no rock clássico, nada mais. Deixamos mais espaço para que as vozes apareçam e o baixo e bateria soem mais unidos, mais compactos, como um bloco.
O Avenged Sevenfold apresenta esse novo metal moderno e aberto que tando se popularizou nos Estados Unidos. Contudo, nos visitam em novembro junto a outro grupo que está conseguindo se posicionar em um terreno similar, Five Finger Death Punch. “Na Europa o conceito de metal é destinto. Nos Estados Unidos, AC/DC, Pantera e o Metallica são considerados clássicos do rock, tocam nas emissoras nacionais, não há um rótulo para eles, seus riffs chegam desde o blues. Outra coisa é o indie-rock e o pop mais comercial. Nós também nos situamos lá. Podemos nos identificar com a cena metal , mas no final o que somos é uma banda de rock clássico”.


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s