M Shadows conversou com o blog The Current : Rock in rio, nova turnê e mais…

M Shadows conversou com o blog The Current da cidade de San Antonio (Texas), e respondeu questões como a apresentação da banda no Rock in Rio, críticas, sobre a banda pensar em se separar, apresentação em San Antonio com sua nova turnê ao lado do Deftones e Ghost e mais…

Primeiro de tudo, me diga tudo sobre tocar no Rock in Rio, no Brasil.
M Shadows : “Oh , sim. Esse é um daqueles sonhos que bandas jovens tem : de tocar no Rock in Rio um dia. Nós tivemos sorte o suficiente para tocar com o Iron Maiden. Eu não costumo ficar nervoso nos shows, mas isso foi o que eu realmente queria pregar, porque eu sabia que muita gente iria querer assistir online e temos uma forte base de fãs no Rio de Janeiro, por isso, queria quebrar tudo naquela noite”.

Você acha que o Avenged Sevenfold sofreu com a “síndrome da banda de sucesso “? Quero dizer, você parecia ser amado ou pelo menos respeitados pelos críticos até que você começou a vender alguns discos…
M Shadows : “Você não pode ser tudo de uma vez. Sempre vai haver pequenas facções de pessoas que são muito vocal em sua opinião de você quando você não é exatamente o que eles querem que você fosse. Quando começamos como uma banda muito jovem na cena hardcore da Orange County, logo que começaram a nos separar de todas aquelas pessoas que não vem aos nossos shows. Eles nos odeiam porque nós cantamos e fomos um pouco mais melódicos. Mas o que acontece. Éramos uma banda legal para assistir na Warped Tour, mas se você perguntar a essas pessoas agora eles vão dizer : “Não, o Avenged Sevenfold não é uma banda Warped, eles sugam “. “Eles são muito grandes, corporativa” . Quanto maior você fica , mais você consegue isso. Assim, basta escrever a música que queremos escrever, saímos em turnê , não a produção que nós queremos fazer , e nós basicamente vivemos em nossa própria pequena bolha. Nós realmente não nos importamos com o que alguém diz”.

Se eles gostarem, ótimo. Se não…
M Shadows : Eu sou um firme crente de que as pessoas não sabem o que querem até que elas encontrem. Há muitas poucas bandas que eu ainda ouvi que escrevem o bom disco outra vez, como AC / DC, e o NOFX , eles sempre fazem o bom disco e eu adoro eles, mas deixei de gostar da maioria das outras bandas porque eles fazem as mesmas coisas, mas eles não nos movem ou nos desafiam. Isso é o que queremos fazer com a nossa banda : para move-la de uma maneira que não necessariamente pensam o que você queria. Você tem que dar às pessoas coisas que as assustam um pouco, toca-las para fora, mas que depois se acostumam. É assim que as coisas evoluem.

A banda alcançou seu maior sucesso depois de duas tragédias : a morte de seu baterista ( Jimmy ” The Rev” Sullivan ), em 2009 , e de 2001 a tentativa de suicídio do baixista Justin Sane, que teve que deixar a banda. Você quase se separaram, mas decidiram ficar juntos.

M Shadows : É um testemunho para os nossos fãs. Eles ficaram com todos nós por isso. Quando Jimmy morreu era muito, muito difícil. A razão pela qual nós pensamos na separação não foi que não queríamos mais tocar música um com o outro, mas não tínhamos certeza de continuar com o nome Avenged Sevenfold foi certo, considerando como igual [ Jimmy ] estava conosco em sua criação. Eventualmente, decidimos que a melhor maneira de continuar o legado foi a de ir em frente. Para mim, é apenas tudo sobre o quanto você pode manter sua cabeça fora do que os outros pensam de você e escrevendo as músicas que você quer escrever e produzindo os discos que você deseja gravar e lançando.

Conte sobre o seu relacionamento com Mike Elizondo (produtor do disco Nightmare, e mais uma vez no novo lançamento, Hail to the King’), que produziu dois álbuns seguidos para a banda depois de anos de auto produção.
M Shadows : Nós nunca descobrimos que o sexto membro estávamos procurando até encontrar Mike . Estávamos abertos a colocar para fora ideias com pessoas diferentes, mas nós não queremos trabalhar com ninguém. Mas Mike veio com todas essas ideias e um amplo conhecimento de metal. Ele sabia absolutamente tudo sobre a nossa banda. Ele cresceu basicamente em favelas de Los Angeles e tudo o que ele fez foi tocar em bandas de metal progressivo . Sua maior influência é Keith Harris do Iron Maiden. Nós nos demos bem e começaram a surgir ideias. Concluímos que ele puderia dar algo para a banda e que podíamos confiar nele. Quando Jimmy morreu, ele estava conosco o tempo todo e nós formamos uma amizade que é muito importante para a banda. Fizemos dois discos e espero que nós possamos continuar.

Quem é o “Rei” se fala no último álbum?
M Shadows : Um cara que destrói tudo para criar um império. A história humana sempre nos mostra pessoas que adoram aos pés de pessoas que nos levam. Para nós, isso era uma coisa muito intrigante, para levar as pessoas e levar para a guerra por nós. Nós nunca conseguimos passar a ideia de tudo ser igual, sempre temos alguém que nos leva. Então, nós apenas escrevemos uma história com o tipo de vibração do Game of Thrones, do século 18, um rei louco que destrói o seu povo. Não há realmente nenhum Rei, você pode fazer isso com quem quiser que ele seja. Ele pode ser a fama, Deus, ou nenhum dos dois.

Falando de Deus…
M Shadows : (interrompendo) Absolutamente não. Eu não acredito nessas coisas. (risos) Eu tento não entrar nisso, porque um monte de nossos fãs são cristãos e muitos não são. Eu tenho minhas próprias crenças, mas eu não acredito em nenhum tipo de religião que temos hoje em dia. Mas nós não somos definitivamente uma banda cristã .

Vocês não tocam em San Antonio desde 2008. Nós gostamos de pensar em nós mesmos como uma capital do metal. Como vocês nos veem?
Absolutamente, nós amamos San Antonio. Nós não somos uma banda de hip, bandas de hip indo para Austin e fazendo as suas coisas… É meio engraçado. (risos) Mas para nós, San Antonio é uma das capitais do metal. Todos no Texas , Houston, Dallas, e até mesmo além , Arizona , Novo México, há tantas ‘metaleiros’. Toda vez que tocamos em San Antonio é muito intenso, tem tanta história … Ozzy e tudo isso. Nós não tocamos há algum tempo e estamos muito animados. Nós temos uma produção muito boa e as pessoas vão ficar encantada por elas. Mas eu também estou animado sobre o Deftones e espero que as pessoas venham no início, porque o Ghost [BC] é uma banda incrível.

Image


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s