Synyster Gates conversou com a Craveonline

Synyster Gates conversou com o site Craveonline em Los Angeles, onde o guitarrista fez sua Master Class promovido pela Schecter e Guitar Center para 10 sorteados, e abordou assuntos como o seu início na guitarra, sobre planos da banda em voltar a tocar em pequenos lugares da Califórnia, seu comportamento no palco e mais :

Confira a entrevista de Gates para Infectious Magazine

Quando você estava aprendendo a teoria da guitarra, você aprendeu isso por conta própria ou quando você estava na Musicians Institute (Califórnia)?

Synyster Gates : A M.I (Musicians Institute) é incrível, absolutamente incrível. Se você for para lá, vá lá e faça direito. Peguei o programa Encore, que não estou tentando dizendo que é o programa errado, é apenas aquele em que você pode fazer a merda que quiser. Você podia chegar às 12:00 e sair às 12:30, e eu meio que gostava disso. Eu fui lá e estudei muito jazz (e) li muitos livros. Eu estava lendo muitas coisas estranhas naquele momento. Eu estava realmente tentando fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Assim, descobrir qual é a sua paixão quando você vai para uma escola como essa…

Dito isto, eu aprendi a minha teoria em um grupo bem eclético de indivíduos. Meu pai me ajudou a aprender muitas músicas legais. Meu primo me ajudou com os métodos gregos. E então a M.I definitivamente me ajudou muito a ouvir e entender música e como fazer arranjos, e basicamente, a importância de escrever licks e escutar em seu ouvido.

Quando o Avenged estava começando, não existiam indícios que o som da guitarra seriam tão segmentado ou que você e Zacky Vengeance se tornariam uma parte tão integral da banda?

Synyster Gastes : Eu não sei se esse tipo de perspectiva estava lá naquela época, mas definitivamente, era uma banda de guitarras segmentadas. Quando Matt escrevia uma música, ele escreve na guitarra. Quando Jimmy estava vivo, ele estava escrevendo para o Avenged no violão, principalmente. Pegamos alguns elementos da nossa antiga banda Pinkly Smooth . Temos canções como “Fiction” ou “A Little Piece of Heaven” que são algumas que ele fez no piano, mas canções como “Brompton Cocktail” e “Afterlife” – essas são algumas que Jimmy fez sentado com uma guitarra. Todo mundo veio de uma banda de punk rock, todo mundo teve uma guitarra na mão em um determinado momento (ou) que leva uma banda ou sua própria identidade. Por isso fazia sentido. Eu sabia que ia ser guitarra segmentada.

E você sabia que ia ser uma banda com guitarra duplas segmentadas?

Synyster Gates : Não no início, quando começamos a escrever tudo nós gostamos do duelo de guitarras. Tudo tinha que ser harmonizado. Camadas e mais camadas. Quero dizer, se você ouvir o City of Evil, são muitas camadas de harmonias em todos os momentos. Se tratando dos vocais, guitarra ou apenas cordas – tudo estava cheio de harmonia. Então, nós tivemos que suavizar e filtrar um pouco. Mas sim, nós sempre gostamos de como Queen fazia isso, ou Mr. Bungle, Matt é um grande fã Bad Religion, NOFX – coisas assim. Era tudo baseado em harmonia. Minha canção de punk rock favorita é “Linoleum” do NOFX . Ela é pura harmonia, as mudanças de acordes são legais… Essas coisas foram completamente inspiradoras e monumentais no desenvolvimento do Avenged.

Você sempre foi muito calmo e controlado no palco?

Synyster Gates : Eu não me sinto como se eu passasse essa confiança, mas obrigado, é bom saber disso. Eu não tenho ideia. Quer dizer, eu observo antigos shows diferentes, especialmente os mais íntimos onde eu acho que eu pareço um desastre. Eu acho que foi um bom dia.

(No Download de 2011) Você teve a chance de trocar licks de guitarra com algum dos caras?

Synyster Gates : Definitivamente. Acho que os bateristas são as pessoas mais legais do mundo. Eu toco um pouco de bateria. Quero dizer, Jim Root (Slipknot / Stone Sour) é um bom amigo meu e nós tocamos um monte de coisas juntos, grande cara. Jake [Pitts] do Black Veil Brides, quero dizer Vinnie Paul… definitivamente tocamos e muitas coisas divertidas que tinham. É tão divertido como são as jam sessions, conversando com pessoas sobre ideias que tenham feito e ouvir as suas experiências, é muito legal. É como um clube de elite.

 Você já pensou em voltar a tocar mais nos pequenos locais de sua cidade?

Synyster Gates : Nós fazemos coisas assim de vez em quando, às vezes por lançamento de disco, como o último no Hollywood Palladium (Hail to the King). Nosso bom amigo Jeremy Popoff do Lit possui um bar em Anaheim, e fizemos muitas vezes por lá, que foi muito divertido. É mais sobre o pegar jeito. Essas coisas são realmente divertidas.

Image

 

Fonte : Craveonline       Foto : Guitar Center


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s