O Avenged Sevenfold contou suas histórias secretas para a Metal Hammer

O Avenged Sevenfold foi destaque na edição desse mês da revista britânica Metal Hammer, que traz como título “A História Secreta do Avenged Sevenfold”. A edição aborda a história da banda desde sua saída da cena underground da Orange Country, chegando ao posto de headline do Download Festival e outros grandes festivais pelo mundo. O site Mojo Metal traduziu um pequeno trecho da matéria, onde M. Shadows e Synyster Gates falam sobre festas, brigas, turnês insanas e tudo que fizeram parte do início do Avenged Sevenfold :

 As lembranças de adolescência dos integrantes do Avenged Sevenfold foram marcadas pela personalidade expansiva de Jimmy “The Rev” Sullivan. Segundo o vocalista M. Shadows: “Conheci Jimmy durante o acampamento de basquete no verão. Sabia que ele era um encrenqueiro, porque tinha uma reputação de moleque incontrolável. Quando nos encontrávamos ele falava “Hey, vou sair de bicicleta. Você quer ir no guidão?”. Então no caminho de casa derrubávamos todas as latas de lixo que conseguíamos. Eu pensava: “Amo esse cara!”. Até que descobri que ele vivia cinco casas depois da minha. Nos tornamos melhores amigos”.

Ao passo que Synyster Gates contou a estranha história de como conheceu Jimmy: “Assim que o conheci, eu dei um soco nele. Foi na oitava série. Lembro que estávamos na fila para entrega de nossos projetos de carpintaria, ele virou a cabeça e olhou para mim: como se eu fosse um merda. Jimmy me acertou no peito e eu o soquei. Nos mandaram para fora. Começamos a falar de música e ficamos amigos”.

A vida da turnê pode ser bastante divertida e, também, problemática. M Shadows relembrou a primeira turnê no exterior da banda: “Foi tudo que você pode imaginar: devassidão pura. Basicamente, você fica louco e festeja todas as noites”. Jimmy ficou preso por uma noite na Inglaterra antes da apresentação no tradicional festival alemão Rock Am Ring:

“Eu fui ao banheiro em Crobar onde havia apenas uma cabine. Eu realmente precisava mijar. O cara não saía e eu pensava: “Porra cara!”, e comecei a mijar na pia. O sujeito saiu, virou-se para mim e começou a gritar. “Foda-se”, pensei e o ignorei, mas quando sai de lá, ele estava me esperando: “Hey, você é cara que estava mijando na pia, qual é o seu problema?”. Eu lhe dei um soco e uma enorme briga começou. Todos começaram a brigar, as pessoas brigavam nas ruas sendo jogadas pelas janelas dos carros. É sério, foi uma loucura. Então a policia chegou e o Jimmy começou a tirar sarro deles, porque não usavam armas no Reino Unido. Zoava com os tiras e corria deles em círculos, todos nós estávamos rindo, até que o ameaçaram e prenderam. Jimmy passou aquela noite na cadeia”.

avenged_sevenfoldÀ época do lançamento de “Walking The Fallen” o Avenged Sevenfold tocava para plateia maiores e alcançava maior prestígio com as gravadoras. Ademais, as festas nas turnês tornaram-se mais loucas:

“Era muito divertido”, contou Synyster Gates. “Foram dias de glória, onde o metal transcendeu. Havia um publico muito maior e as grandes gravadoras estavam dispostas investir mais dinheiro em vídeos loucos e turnês ainda mais loucas. As festas eram absurdamente insanas. No clipe de “Beast and the Harlot” bebemos um maldito uísque todos os dias. Colocamos um monte de gente numa porra de limusine, abrimos um champanhe e demos uma festa”.

“Estávamos constantemente controlando uns aos outros, mas não havia quem desse o exemplo”, completou o guitarrista. “Se alguém me dissesse para não usar cocaína, e eu estando muito chapado conseguiria alguma. As sete da manhã estaríamos fora de controle. Como eu disse ninguém dava o exemplo”.

Jimmy “The Rev” também gostava de festejar bastante. Em dado momento, entregou-se aos seus vícios e a banda se viu obrigada a tomar providências.

“Enviamos Jimmy para a reabilitação por ter problemas com a cocaína” revelou Synyster. “Sabia que Jimmy tinha um problema, mas foi uma tática de merda. Ele amava festejar e aproveitávamos a bebida ou qualquer outra coisa. Pensei: “Vamos te arrumar alguma ajuda, cara”. Apenas para acalmá-lo um pouco. E isso o ajudou, porque nunca mais usou cocaína em sua vida”.

Synyster Gates ainda contou uma história inédita de seu uso de drogas com Jimmy: “Bem, ele nunca mais usou cocaína, exceto o dia em que saiu da reabilitação. Foi minha culpa. Peguei-o na reabilitação e fizemos uma sessão final de cocaína, porque ele jurou nunca mais fazer isso de novo. E ele nunca mais fez. Mas no momento em que saiu da reabilitação cheiramos cocaína e escrevemos um monte de músicas. Foi um grande dia! Eu nunca admiti isso pra ninguém. Foi bem fodido”.

Fonte/Tradução : Mojo Metal

fghgfhg

 


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s